São Francisco

Compartilhe

Em 1182 em Assis, na Itália, nasce Francisco, filho de um rico comerciante de tecidos e de uma nobre senhora. Toda a sua vida, principalmente na infância e juventude, foi marcada pelo luxo, graças ao dinheiro da família.

Em defesa de sua cidade, combate contra Perúgia em 1202. Na batalha de Colestrada é preso. Sonha ser cavalheiro e decide ir combater em Puglia, mas em Espoleto uma visão e uma voz misteriosa o fazem parar. Volta a Assis e inicia o longo período que ele mesmo chama de “conversão”. Em 1206 vai como peregrino a Roma, onde se mistura aos mendigos, trocando suas ricas vestes com um deles e se põe a pedir esmolas. Voltando a Assis ocupa-se com os pobres e leprosos; um dia, enquanto ora na igrejinha de São Damião, o Crucifixo lhe diz: “Francisco, reconstrói a minha casa que está em ruínas”.

Diante do bispo de Assis renuncia a tudo devolvendo ao pai até as vestes que usava e exclama: “De hoje em diante poderei dizer livremente: Pai nosso que está nos céus, não pai Pedro Bernardone”. Junto à Igreja de Santa Maria dos Anjos, estabelece a sua morada.

Na festa de São Matias, depois de ter ouvido a explicação do sacerdote sobre o trecho do Evangelho exclama: “É isto que eu quero, é isto que peço, é isto que busco fazer de todo coração”. Alguns jovens de Assis seguem seu exemplo: nasce a Ordem Franciscana. Isto se deu no ano de 1209. Em abril dirige-se a Roma com seus companheiros e obtém do papa Inocêncio III a aprovação da Regra.

Prega o Evangelho em muitos lugares e cidades da Itália. Reúne todo ano os frades em capítulo e os envia às várias nações.

Funda, com Santa Clara, a Segunda Ordem, chamada das Clarissas em 1211.

Desejoso do martírio viaja para o Oriente. Lá passa dois anos. Em 1221 celebra o capítulo das esteiras em Assis e se demite do posto de superior. Nesse mesmo ano é fundada a Ordem Terceira.

Em 29 de novembro de 1223 redige ou escreve a nova Regra da Ordem que é aprovada pelo papa Honório II. Nesse mesmo ano, em Greocio no Natal relembrando o nascimento de Jesus, prepara ao vivo o primeiro presépio.

Já doente, em 1224, vai para o monte Alverne e lá recebe de Jesus as sagradas chagas.

Quase cego, nos primeiros meses do ano em Fonte Colombo submeteu-se a uma operação na vista. Na primavera, retorna a Assis, onde a 03 de outubro de 1226, na hora das vésperas morre, cantando o salmo 141.

Em 16 de Julho de 1228 é canonizado, ou seja, declarado santo, pelo papa Gregório IX.

Em 1935 é proclamado patrono da Itália pelo papa Pio XII.

É proclamado patrono da ecologia em 1979 pelo papa João Paulo II.

Saiba mais sobre a vida de São Francisco

  • Conversão

Francisco ficou preso por um ano durante o inverno. O clima não salutar da prisão, juntamente com os meses de inverno, enfraqueceram o organismo dele, fazendo surgir uma grave enfermidade. (Continue lendo!)

  • As chagas

Era uma vez um homem: pobre, doente, coberto de chagas. Estava sentado às portas de um palácio de um ricaço e esperava pelas migalhas da mesa farta. Mas a ganância do ricaço o ignorava e o deixava morrer à míngua.  (Continue lendo!)

  • Cronologia da Vida

1182 – Nascimento de Francisco em Assis. Que recebe o nome de João. Seus pais são Pietro Bernadone e Madonna Pica.

1193/1194- Nascimento de Clara em Assis. Seus pais são Favorone de Offreduccio e Maddonna Ortolana. (Continue lendo!)

  • Franciscanismo no Nordeste

Francisco de Assis mais que um santo é  ideal, um espírito e um modo de ser que se mostra numa prática, sendo que as três ordens que fundou, a primeira para homens, estabelecida em 1209, com o nome de Ordem dos Frades Menores; (Continue lendo!)

  • Vocações Franciscanas

Se ser frade franciscano chama sua atenção não tenha medo de avançar o sinal da sua vida e venha nos conhecer. (Continue lendo!)

  • Os leprosos, os mais pobres da sociedade

Certo dia, ao cavalgar pelas planícies ao redor de Assis, deparou-se com um doente, cujas úlceras lhe pareceram tão repugnantes, que ficou horrorizado. Tinha verdadeiro horror pelos leprosos. Mas desceu do animal, e quando o doente lhe estendeu a mão para pedir uma esmola, Francisco, ao apresenta-la, beijou-lhe a mão. (Continue lendo!)

  • “Vai Francisco, e reconstrói a minha casa”

Certo dia do ano de 1205, enquanto estava rezando na Igreja de São Damião, fora dos muros de Assis, pareceu-lhe ouvir uma voz vinda de um crucifixo pendurado atrás do altar. A voz lhe falou três vezes seguidas: “Francisco, vai e reconstrói a minha igreja casa que, como vês, está ruindo”. (Continue lendo!)

  • As criaturas, símbolos do amor divino

Seu amor por todas as criaturas, seu carinho pelos animais, pelas aves, por todos os elementos da natureza, fizeram dele o patrono da ecologia. Uma ecologia não teórica, mas de louvor, de respeito pela obra do Criador. (Continue lendo!)

  • Em unidade com a Igreja

Muitas cidades manifestavam o desejo de ter em seu meio esses irmãos outrora desprezados e agora revitalizadores da vida cristã. Pequenos conventos deles surgem por toda parte na Úmbria, Toscana, Lombardia e Ancona. (Continue lendo!)

  • Irmã Clara de Assis e as Senhoras Pobres

O estilo de vida de Francisco não poderia ser privilégio dos homens. Muitas mulheres escutavam sua pregação, observavam seu estilo de viver o Evangelho e também queriam essa oportunidade. Uma delas foi Clara. (Continue lendo!)

  • Francisco e Clara, amizade de Santos

A obra de Clara estava sempre no coração de Francisco. Muitas vezes ele enviou doentes e enfermos que ela conseguia curar à força de delicados cuidados. Apesar de sua humildade, Francisco era obrigado a reconhecer a grande admiração que Clara e as outras irmãs tinham por ele. (Continue lendo!)

  • A morte de uma Santa

Clara suportou os longos anos de enfermidade com sublime paciência. Em 1253, teve início uma longa e interminável agonia. O Papa Inocêncio IV deu-lhe duas vezes a absolvição com o perdão dos pecados, e comentou: “Queira Deus que eu necessitasse de perdão tão pouco assim”. (Continue lendo!)

  • O lobo do Gúbio

Recebendo um faisão de presente, Francisco louvou a Deus pela sua existência. Depois disso, o faisão não largava de seu pé e não queria saber de mais ninguém. Vendo uma cigarra  no jardim, pediu que ela louvasse a Deus e ela se pôs a cantar até que ele a mandou parar. (Continue lendo!)

  • Francisco, os frades e as missões

A vocação de Francisco era a missão, a pregação. Esta foi também a vocação que Francisco colocou em cada um de seus discípulos. Lembramos seu anúncio de penitência pelos arredores de Assis, o envio dos frades,  dois a dois, pelas cidades vizinhas. Mas, era preciso pregar além da Itália. (Continue lendo!)

  • Último encontro com todos os irmãos

Percebendo o crescimento de sua Ordem, em 1220 Francisco entregou seu governo a frei Pedro Cattani. Seria seu vigário, e ele teria mais tempo para zelar pela vida espiritual de seus irmãos. Foi um grande sofrimento para ele ver o querido frei Pedro morrer em março do dia seguinte. (Continue lendo!)

  • Presépio de Gréccio

No dia 29 de novembro de 1223, o Papa Honório III aprovou a Regra definitiva da Ordem dos Frades menores, ainda hoje em vigor. O texto original se conserva em Assis. Em essência, ela representava o espírito e o modo de vida defendidos por Francisco desde o momento em que eles se despojou de suas vestes diante do bispo de Assis. (Continue lendo!)

  • Recolhido pela Irmã Morte, entra na Vida

Percebendo que nada mais lhe restava fazer neste mundo, após ter amado tanto a todos e a tudo, Francisco pediu para retornar à Poriúncula. A irmã Morte estava vizinha. (Continue lendo!)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



© 2011-2017 - Santuário de São Francisco das Chagas
Praça da Basílica, 31, Centro - Canindé-CE - CEP 62700-000
Fones: (85) 3343-9950 / 3343-0017 - Caixa Postal: D2
Cactal